Comité Paralímpico Portugal

A judoca Joana Santos juntou ao título mundial surdolímpico na categoria -57 kg a conquista da medalha de ouro nos Jogos Surdolímpicos, competição que está a decorrer em Caxias do Sul, Brasil.

“Somos ouro, é uma emoção enorme, não tenho palavras… estou muito orgulhosa por representar o meu país, com o grande apoio que tive aqui, estou muito muito orgulhosa e não tenho palavras para explicar o que estou a sentir neste momento”, partilhou Joana em entrevista ao Comité Paralímpico Portugal.
Depois de ter sido porta-estandarte da delegação portuguesa, na cerimónia de abertura realizada no domingo, a atleta do Judo Clube do Algarve, de 32 anos, chega ontem ao objetivo assumido, na sua primeira participação nos -57 kg (antes competia em -63 kg).

Em outubro passado, sagrou-se Campeã Mundial, em Versalhes, França, o que a catapultou para o estatuto de favorita.

Na sua quarta participação em Jogos Surdolímpicos, Joana Santos manteve a tradição de conquistar medalhas, depois de ter alcançado o ouro em Taipé 2009, a prata em Sófia 2013 e o bronze em 2017.

Comité Paralímpico Portugal

Vítor Pataco, presidente do IPDJ, não só assistiu à conquista da medalha de ouro como foi o próprio a entregar a medalha à judoca: “Foi um dia muito feliz para todos e em primeiro lugar queria dar os parabéns à Joana Santos que fez um extraordinário resultou, prestigiou a bandeira portuguesa, prestigiou o nome de Portugal”. (Declarações completas nas redes sociais do Comité Paralímpico Portugal).

Comité Paralímpico Portugal

Os Jogos Surdolímpicos Caxias do Sul 2021, adiados no ano passado devido à pandemia de covid-19, contam com a presença de cerca de 4.500 atletas de 100 países, para competirem nas 20 modalidades do calendário surdolímpico. Portugal, que estará representado em seis modalidades, somará a sua oitava participação nesta competição em que conquista a 14ª medalha.

O evento é organizado pelo Comité Internacional de Desporto para Surdos (ICSD), criado em 1924 e que em 1955 foi admitido pelo Comité Olímpico Internacional como federação internacional.

Para participar nos Jogos, os atletas devem ter perdido 55 decibéis no seu “ouvido melhor”, não sendo permitido o uso de quaisquer aparelhos ou implantes auditivos.

Fonte: Lusa (com Kombat Press)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui